O Estopim

Quantas vezes estamos em uma situação que se torna quase insustentável, a ponto de fazer com que a falta de um 'bom dia' seja motivo para quebrar uma cadeira na cabeça de alguém ?? Quantas vezes suportamos situações constrangedoras, engolimos sapos, somos obrigados a fazer algo que não queremos, e quando alguém fala mal da sua roupa é suficiente para 'voar' nos pescoço desse alguém... 

Enfim, são situações e situações que se passam no dia-a-dia de todas as pessoas e que hora ou outra explodem. E esse momento pode receber vários nomes, como a gota d'água, o último suspiro', ou o estopim. Eu prefiro a opção 'O Estopim', por ser algo mais dramático - e eu não dispenso um bom drama, risos...

E neste sábado que passou pude presenciar uma cena superinteressante :S Vi um estopim ser acendido e explodir uma relação. E sabem o que foi o estopim ?? Uma coxinha na rodoviária... Sim, uma coxinha... Tudo bem que ela era linda, douradinha, arredondada, com formas perfeitas e dava água na boca de ver... Mas o caso foi o seguinte: Um jovem casal, ambos entre 26 e 30 anos, foi ao bar; ela queria a coxinha mas ele achou que era cara. Ela disse que iria comprar; Ele disse que não iria pagar. Ela disse: 'Não começa de novo que eu te deixo sozinho aqui !' Ele não acreditou e ficou falando mal da coxinha... Ela de um sopetão meteu um empurrão no amado e disse: Me esquece. Chega de você. Acabou ! Sai da minha frente... 

Com sua mochila ela se foi e ele ficou um instante parado, talvez pensando que todos deveria estar olhando para eles - e de fato estavam - e ele alí, desprotegido... Um alvo. Então saiu. Para o outro lado...

Ela às pressas sumiu em meio à multidão de pessoas que perambulavam na rodoviária em uma véspera de feriado.

E a coxinha foi o estopim daquele relacionamento.

Aí fiquei me perguntando quantas vezes aquele casal não havia brigado... Quantas vezes aquele homem não havia privado a mulher de realizar seus simples desejos... Quantas vezes ela quis sair e ele disse não. Quantas vezes ela quis comprar um vestido e ele não deixou. Quantos desejos ela suprimiu para atender as vontades do amado... Quantos sonhos deixou escaparem como água correndo nos dedos, simplesmente para tentar sustentar uma relação insustentável... Quantas opções. Quantas perguntas... Quantas situações.

Enfim, os olhos cheios d'água de ambos - sem 'darem os braços a torcer' - mostraram que havia por trás daquele estopim uma grande história. De amor, de dor, de sonhos conjuntos e de muitos sonhos roubados...

Uma história de ambos, da qual sabemos apenas o fim... ou o estopim.

--

E com essa me despeço lhes deixando ao som da Linda Gadú !! Sonhos Roubados, essa é a pedida para esta curta história...


Ninguém vai me dizer, como devo me virar...
Eu quero... Quero muito.
Quer agora, sem demora...
O meu desejo ninguém vai me roubar!










Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê a sua opinião...
Apenas tenha bom senso e seja educado(a)

:)